levantei tarde demais
para que esse dia fosse útil
você comprou um bule
para que a viagem não se perdesse
na montanha dos dias
o bule em seu porte
de nobre russo
e sua longa ponta dourada
que nem no inverno nem
na manhã mais tristonha
enverga
o bule altivo no alto da prateleira
guarda a casa
não quer ser esquecido
como uma boneca
de tranças longas
que só dança quando toca música
o bule relincha de alegria
quando a água
avisa que ferveu
mesmo você fora de casa
mesmo que hoje eu seja
sua única companhia para o chá
em sua estampa branca e azul
e sua ponta reluzente
como se hoje também fosse
dia de festa


Alice Sant’Anna é autora de Dobradura (7Letras, 2008), Rabo de baleia (Cosac Naify, 2013, prêmio APCA) e Pé do ouvido (Companhia das Letras, 2016).

Ilustração de Carolina Nazatto

0 Comments